COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS COM NAVISWORKS

Atualizado: 6 de Out de 2020

Dentre os diversos fatores que interferem na qualidade de um empreendimento edificado está a fidelidade entre o projeto e a obra. É fundamental haver maior previsibilidade de erros já na fase inicial, para que eles não sejam descobertos apenas durante a execução. A questão é que cada vez mais especializações de profissões ocorrem, o que tende a fragmentar cada vez mais os projetos e os processos. Nesse caso, a compatibilização entre os projetos torna-se essencial na busca por soluções ainda na fase da concepção. Essa questão, já era registrada desde a década de 1980, quando empresas haviam percebido a necessidade de integrar os projetos e implantaram a cultura de contratar coordenadores de projetos e equipes para compatibilização (COSTA, 2013).


Nesse contexto, o Building Information Modeling (BIM) pode contribuir de forma considerável sobretudo por causa da grande capacidade dos softwares BIM em termos de clash detection (detecção de conflitos) e interoperabilidade, além de promover um fluxo de trabalho com caráter mais colaborativo entre as disciplinas. Destaca-se aqui a utilização da ferramenta BIM Autodesk Navisworks, como catalisadora da integração interdisciplinar e base para ambientes colaborativos.


O QUE É COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS


Callegari (2007) e Costa (2013) descrevem a compatibilização de projetos como um meio para solucionar parte dos erros oriundos da fase projetual e como alternativa para a integração dos mais diferentes projetos, essa ação possibilita eliminar os conflitos e aumentar a produtividade e qualidade na execução da edificação. Os autores criticam ainda a separação entre o projeto e a execução, essa distinção não é nada benéfica. O ambiente ideal aponta para inserção do “pensar a obra” já em fases mais iniciais do projeto e acompanhá-lo em todo o tempo. Dessa maneira, o projeto seria mais completo e anteciparia muitas questões até então não discutidas.


COMPATIBILIZAÇÃO EM CAD X COMPATIBILIZAÇÃO EM BIM


A compatibilização em CAD é realizada, majoritariamente pela sobreposição gráfica de desenhos em 2D, como mostra a Figura 01. As cores ilustram os layers do AutoCAD e representam as respectivas disciplinas submetidas a análise. É evidente a confusão de informações a partir de uma leitura baseada apenas linhas, mesmo nos casos que se recomende a padronização de layers por disciplinas.


Figura 1: Exemplo de compatibilização em CAD 2D

Fonte: Acervo Sandra Albino Ribeiro


A figura ilustra um caminho considerado árduo, falho e ineficaz, dado aos seguintes pontos: a) Erro humano: toda atividade humana é passível de falhas e as razões para tal podem ser diversas como a fadiga, negligência, falta de treinamento etc; b) Representação 2D: todo desenho representa apenas uma parte da informação espacial do projeto e ele é visto por um determinado ponto específico, além disso alguns elementos são exibidos através de convenções e anotações. c) Ferramenta: a ferramenta digital não é específica para tal ação, trata-se apenas de uma plataforma para executar desenhos; d) Valor de projeto: O produto final nem sempre apresenta todas as peças gráficas e informações, alguns até omitem ou simplificam detalhamentos essenciais a correta interpretação e execução (RIBEIRO et al, 2019).

COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS COM A FERRAMENTA BIM AUTODESK NAVISWORKS

De modo contrário à situação anterior, o processo de compatibilização com o BIM, também denominado de coordenação espacial 3D, se baseia na análise de modelos tridimensionais e na detecção de interferências de modo automático que pode ocorrer tanto nos softwares de modelagem como em softwares mais específicos como o Navisworks, logo, é apontado na literatura como um processo mais vantajoso, quando comparado ao processo CAD.

O Autodesk Navisworks permite aos usuários abrir e combinar modelos BIM, navegar e revisar pelo modelo utilizando um conjunto de ferramentas de coordenação, revisão, análise de interferência, documentação e até mesmo renderização. Cada conjunto supracitado oferece infinitas possibilidades aos usuários de aprimorarem a compatibilização de projetos, além disso esse software permite realizar a programação e simulação da obra e extrair quantitativos de modo automático. (ver Figura 02).


Figura 2: Exemplo de compatibilização de projeto com Autodesk Navisworks

Fonte: Quatre Ensino Especializado



A compreensão de qualquer empreendimento e a identificação dos seus elementos construtivos é bem mais viável mediante a utilização do Navisworks. Além de ser fácil identificar a geometria 3D, é oportuno salientar a vantagem de extrair diversas informações do modelo, como fases, níveis, áreas, volumes, responsável técnico, fabricante, dentre outras infinitas oportunidades oferecidas por essa ferramenta. Associada à experiência e ao conhecimento técnico de profissionais a utilização do Navis reflete ganhos de qualidade e produtividade imensuráveis no processo de compatibilização, planejamento e execução de qualquer obra.


Uma vantagem primária e importante é que o Navisworks permite ler 28 formatos diferentes de arquivos. Com ele é possível ler arquivos do tipo Revit, Sketchup, Rhino, AutoCAD, ArchiCAD, 3ds Max, CATIA, FBX, IFC, Solid Works, dentre outros que são listados na Figura 03. Esse fato possibilita autonomia entre as diversas equipes de projeto, para trabalharem nos softwares que já estão habituados, observando-se os protocolos de interoperabilidade predefinidos durante as contratações.


Figura 3: Tipos de arquivos lidos com Navisworks Manage 2020