PONTOS DE REFERÊNCIA NO REVIT

Atualizado: 14 de Dez de 2020

Quais são os pontos de referência no Revit? Onde estão localizados? Como posso alterar a sua posição? Comecei o meu projeto sem me preocupar em definir um ponto de referência e acabei compartilhando com outra disciplina. E agora? Como ter pontos em comuns entre diferentes arquivos e assim federar corretamente os modelos BIM?


Essas são perguntas frequentes que geralmente ocorrem quando começamos a trabalhar em equipe e precisamos utilizar vínculos de Revit para desenvolvermos o modelo BIM. Para entender um pouco mais sobre esse assunto, é fundamental que você tenha em mente os conceitos de cada um dos pontos de referência existentes no Revit. Sabendo da diferenciação entre esses conceitos, você conseguirá indicar ou corrigir a referência de seus projetos e federar os modelos BIM de maneira correta.


PONTO DE PESQUISA OU PONTO GEORREFERENCIADO


O ponto de pesquisa é o ponto georreferenciado (Figura 01), ou seja, é o local que atribuímos as coordenadas geográficas (em UTM) em um arquivo do Revit. Com a ferramenta "especificar coordenadas no ponto", podemos transferir os valores reais de um levantamento topográfico para o ponto de pesquisa.


Caso haja o levantamento topográfico, o ponto de pesquisa deve ficar localizado exatamente no ponto denominado "Referência de Nível", geralmente existente e locado em plantas topográficas. Ao realizar esta tarefa, estamos georreferenciado o nosso arquivo no Revit. Em termos de vínculos de Revit, se este ponto é a referência adotada, utilize então a opção “automático: por meio de coordenadas compartilhadas”. Em inglês, atribui-se a este ponto o termo "shared point".



Figura 01: Pontos de Referência no Revit. Fonte: Quatre Ensino Especializado


PONTO BASE DO PROJETO


Enquanto que o ponto anterior assume valores reais em relação ao globo terrestre, o ponto base do projeto é o ponto 0,0,0 de cada projeto em específico (Figura 01). É a referência para locação de elementos na obra e pode ou não coincidir com o ponto georreferenciado. Por meio do ponto base do projeto podemos compartilhar e vincular múltiplas disciplinas através da opção "auto: ponto base do projeto para ponto base do projeto".


O ponto base de projeto é uma excelente opção de compartilhamentos de pontos de referência entre diferentes disciplinas/softwares, principalmente se ainda não temos o levantamento topográfico para georreferenciar os arquivos. Por meio dele, podemos determinar um ponto que chamaremos de 0,0,0 no projeto e que pode ser compartilhado por todas as outras partes do projeto.


PONTO DE ORIGEM INTERNA


Este ponto se refere ao ponto zero do arquivo. Não é o ponto georreferenciado e não é o ponto base do projeto. É o ponto zero do arquivo rvt. Pode ou não coincidir com os demais já mencionados. Não podemos movê-lo de lugar e também não conseguimos selecioná-lo. É um ponto invisível até a versão 2020.1. A partir da versão 2020.2, conseguimos enxergá-lo (Figura 01). O ponto de origem interna é o ponto utilizado quando utilizamos a opção de vínculos "Automático: de origem interna para origem interna".


Atenção! Ao exportar arquivos do Revit para o Navisworks, caso tenha utilizado esta opção de vínculo, é necessário marcar a opção "internal origin" para que o modelo federado seja construído de maneira precisa. Como este ponto não pode ser movido, não recomendamos a utilização deste para vínculos de múltiplas disciplinas trabalhadas em softwares diferentes, visto que cada software determina sua origem interna, pode ser que os pontos não coincidam entre os projetos. Nesse caso, o mais recomendável é adotar a adotar um dos pontos anteriormente descritos.


RECOMENDAÇÕES


Você percebeu que os três pontos apresentados anteriormente são distintos e independentes entre si. Ao iniciar um projeto em branco, com um template padrão da Autodesk, esses pontos vêm juntos. Mas dada a especificidade e as circunstâncias de cada projeto, geralmente movemos os pontos bases de pesquisa e de projeto. Isso posto, recomendamos que você trabalhe com esses pontos localizados no mesmo lugar.


Para facilitar o entendimento entre as diferentes disciplinas, tente manter unidos os pontos de referência. Se não puder manter juntos os três, tente unir os pontos de pesquisa e de projeto e se não for possível manter unidos os dois, lembre-se de definir qual ponto será utilizado no compartilhamento entre as equipes. Com este ponto definido, evite movimentá-lo de lugar e garanta que os mesmos valores de coordenadas estejam sendo utilizados por todos os membros do projeto. Com esse princípio você evitará muitos retrabalhos e problemas ao compor um modelo federado para coordenação de modelos BIM (Figura 02).



Figura 02: Modelo federado no Revit com diferentes pontos de referências. Fonte: Quatre Ensino Especializado.