10 CRITÉRIOS PARA ESCOLHER UM SOFTWARE BIM

Atualizado: 6 de Out de 2020

A implantação do BIM é vinculada a mudanças nos processos, nas políticas e nas tecnologias de qualquer empresa na área de Arquitetura, Engenharia, Construção ou Operação do edifício (AECO). O sucesso dessa implantação implicará em mais produtividade e qualidade, além de levar à empresa a maior competitividade dentro de seu setor e garantir até mesmo a sua sobrevivência. Um dos primeiros passos da adoção dessa nova metodologia de trabalho é o planejamento e um dos pontos chaves dessa etapa é a escolha do software BIM. Listamos aqui alguns critérios que podem ser considerados na escolha da ferramenta BIM.


1 – Campo de atuação

Nenhuma ferramenta sozinha realiza todas as tarefas de projeto, orçamento, planejamento, execução e operação do edifício. Dado a isso, é importante primeiro verificar se o software é adequado a sua área de atuação, ou seja, existem recursos nele para realizar as suas atividades profissionais? E se ele é adequado a seu campo de atuação, veja se existem limitações e liste quais são, mas também liste as vantagens que ele pode proporcionar e ao final compare-as.


2 – Certificação

A buildingSMART, que é uma organização internacional, certifica softwares BIM e com isso atesta se aquele software exporta e importa adequadamente os arquivos IFCs. Ou seja, é a garantia que a interoperabilidade poderá ocorrer no seu fluxo de trabalho. Softwares que não são certificados podem gerar IFCs sem informações e até mesmo com a geometria corrompida. Fique atento a isso, pois esse tipo de IFC poderá não ser útil as outras etapas com a compatibilização do projeto e/ou extração de quantitativos. Ver Figura 01.

Veja os softwares certificado pela buildingSMART https://www.buildingsmart.org/compliance/software-certification/certified-software/ . Acesso em agosto de 2020.


Figura 01: IFC oriundo de um software não certificado pela buildingSMART

Fonte: Quatre Ensino Especializado


3 – Intercambialidade

Em um fluxo de trabalho BIM, às vezes, é necessário trabalhar com outros formatos de arquivos além do IFC. E isso pode variar de acordo com o seu campo de atuação. Nossa orientação é que você verifique se o software escolhido possibilita entrada e saída de outros formatos, especialmente, os que você já trabalha. Como exemplo o formato DWG, XLS, PDF entre outros.


4 – Versão teste

Antes de adquirir qualquer ferramenta BIM, assim como um carro, faça um teste. Verifique se o fabricante disponibiliza a versão trial. Com isso já será possível verificar se a ferramenta tem ou não uma interface amigável e se o seu computador é compatível com o software.


5 – Configuração mínima de Hardware e sistema operacional

Certifique quais são as configurações mínimas do hardware para executar o software escolhido. Alguns softwares podem exigir mais da placa de vídeo, processador ou memória. Examine se a ferramenta escolhida é compatível com o sistema operacional do seu computador.


Veja os requisitos do sistema para Autodesk Revit 2021

Link: https://knowledge.autodesk.com/pt-br/support/revit-products/learn-explore/caas/sfdcarticles/sfdcarticles/PTB/System-requirements-for-Autodesk-Revit-products.html?st=Requisitos%20do%20sistema%20para%20os%20produtos%20Autodesk%20Revit%202021


6 – Valores e base de usuários

Confira o valor da licença do software escolhido. Atualmente, boa parte dos fabricantes estão ofertando pacotes de licenças anuais e até mesmo mensais. Além do valor, é importante verificar a base usuários, ou seja, uma licença pode ser utilizada em mais de um computador, permitindo assim maior uso dessa ferramenta na empresa. Ressalta-se que alguns programas são vendidos a partir de pacotes enxutos (light), portanto não comtempla todos os recursos da versão completa (full), mas podem atender às necessidades de um determinado tipo de usuários. E não custa nada lembrar, o valor de qualquer produto é relativo. Se você compra um software que quase nunca utiliza, então, certamente ele será caro. Mas se utiliza todos os dias e consegue fazer várias tarefas do trabalho e ele te leva a maior produtividade e qualidade, certamente não será um software caro.


7 – Idioma e materiais didáticos

Investigue o idioma utilizado pelo software escolhido, pois uma versão diferente do português pode ser para alguns uma grande barreira no processo de aprendizagem. Ao mesmo tempo, pesquise se existem livros, apostilas, manuais, vídeos entre outros materiais didáticos que possibilitem uma melhor compreensão da ferramenta escolhida.


Veja os nossos livros:

https://www.espacoquatre.com/loja


8 – Treinamento

Na maior parte das vezes, não basta adquirir um software BIM é necessário passar por um processo de treinamento e compreender a fundo o funcionamento da ferramenta. Com isso o usuário compreenderá melhor as potencialidades e certamente será mais ágil. Portanto é bom verificar a existência de Centros de Treinamento Autorizados do software escolhido, bem como avaliar se o curso ofertado tem suporte, material didático e reconhecimento no mercado.